Há muito tempo que se dissemina ideias muito preconceituosas a repeito do islamismo. Um dos ensinamentos de Jesus é de não cometer julgamentos, conversa para outra hora. Esse preconceito é sim uma forma de julgamento, reduzimos conclusões tiradas de uma situação a um povo inteiro e titulamos todos como sendo únicos.
  Pense bem, você gostaria de ser intitulado por meio de ações de outro? A resposta já conhecemos.
  Estive assistindo tempo atrás um especial do Roberto Cabrini para o SBT Repórter sobre o islamismo e os muçulmanos aqui no Brasil. Fiquei chocada! Um país cuja Constituição contempla os estrangeiros, assegurando-lhes alguns direitos mesmo estes não sendo cidadãos e ainda em seu texto fala sobre liberdade e respeito de raça, cultura, religião, vermos casos de pessoas chamarem de "mulher bum" em locais públicos, se referindo às mulheres muçulmanas, me indignou profundamente.

India - The Color of Contrast (Part III) by Joel Santos by Joel Santos - Photography, via Flickr:   Antes de qualquer ação devemos antes pensar que somos todos seres humanos, todos somos dotados de sentimentos e de passado também. O que faz você ser o que é hoje está intimamente ligado ao que você foi ontem, o que te aconteceu.
  A reportagem contemplou o estilo de vida e o meio religioso e então pude entender um pouco mais o por que são tão abençoados.
  Aos que não sabem, o islamismo é a religião que mais cresce no mundo, o número de convertidos é assustador principalmente quando comparados as estatísticas de recém convertidos cristãos. Mas por que? O que acontece para que eles sejam tão prósperos se nós somos filhos do Deus único?
   Radicais cristãos tem por hábito dizer que é coisa do inimigo, que é o fim dos tempos, entre outras coisas.
  Eu percebi coisas que não praticamos e que os muçulmanos sim praticam e por isso tem se tornado fortes e numerosos, quer saber? Vou enumerar!


1. Eles se amam e se respeitam: Ah mais isso também acontece em nosso meio! Mas é verdadeiro? Se eu chego na casa de um muçulmano sendo eu muçulmana, mesmo nunca tendo nos visto, este alguém vai me receber como seu fosse seu braço direito, estarei como se estivesse na casa da minha família.
Mas na casa de um cristão estaria por intermédio do pastor, ou de algum irmão que procurou ajuda para prover o necessário para mim. Mesmo sendo bem recebida, não seria do coração.

Em João 15-12:

    Este é o meu mandamento: amai-vos uns aos outros, como eu vos amo.

Devemos nos amar, nos respeitar, como Jesus nos amou e ama! Por que não "amai-vos uns aos outros como a si mesmos"? Ora, seria contraditório uma vez que temos nossos altos e baixos, sofremos com nossa auto-estima e por várias vezes você não está satisfeito consigo mesmo. 
Mas Jesus não, ele é filho de Deus e esses adjetivos humanos ele não tem. Seu amor não se reduz a sua condição emocional, ele nos ama como somos e na situação que nos encontra.

2. Eles vivem o que pregam e se dedicam a ler e estudar o livro sagrado deles: Se um pai diz ao filho, "- Não pode!" e segundos depois está fazendo o que havia dito que não podia, de que valor é a palavra do pai? O mesmo vale para líderes religiosos, cremos que nossos líderes são levantados em nosso meio para servir a Deus e propagar sua palavra a todos os cantos. Suas palavras, suas ações. são reflexos da vida cristã que tem e são encorajamento aos fiéis.

  Em nosso meio sabemos que não são fatos isolados de pastores que pecaram por meio do adultério, pela ganância, pela soberba, e assim por diante.

 Precisamos parar de intitular, rotular e passar a ver através da religião, jogar fora os olhos do preconceito e ver os seres humanos.
 Passei a refletir mais assim depois de assistir ao filme "O auto da compadecida", que super recomendo!


Bom, por agora é só!
Até breve.

>> Imagem: Pinterest