Fotos incríveis para se tirar em família | Macetes de Mãe:

Um dia minha irmã mais nova chegou em casa contando que havia assistido uma palestra na escola sobre aborto, a escola costumava fazer palestras do tipo com assuntos que seriam possíveis abordagens nas provas de vestibulares e ENEM.
Eu sempre mantive aguçado em mim a vontade em saber mais sobre assuntos contemporâneos, polêmicos, assuntos como esse estavam inclusos em meu repertório, então nada mais natural que perguntar para ela sobre o que havia sido dito na palestra.
Sua resposta me gerou surpresa, acostumada em ler e ouvir dados e estatísticas, sua resposta foi que a palestra tinha sido ministrado por uma senhora, médica que tinha sido estuprada em sua adolescência.

"- Ãh?!" - foi a minha reação.

E ela começou a contar, estava tão atônita quanto eu, a senhora compartilhou informações técnicas sobre as consequências do aborto no organismo da mulher, as formas que eram feitas, mostrou imagens dos fetos e de mulheres que realizaram a intervenção. 
Quando a palestra se encaminhava para o final ela abriu o questionamento: "Quando a mulher é violentada, estuprada e engravida do seu agressor, na opinião deles (que assistiam) esta mulher tinha o direito de abortar?"
Essa pergunta me perseguiu durante muitos anos, quando parava para pensar era um pesar.
Um pesar porque se trata de uma vida, com antecedentes e sucessores, 50% daquela vida é minha, carrega meu DNA. Caso ocorresse e eu abortasse seria como se eu me suicidasse 50%.
Por outro lado eu pensava: " - E se esse bebê nascesse com a cara do pai, ou seja, com a cara do meu agressor, que revolta seria!"

A doutora que deu a palestra para a minha irmã e a turma dela compartilhou que ela tinha sido estuprada em sua juventude e que ficou grávida de seu agressor.
Sua atitude foi ter esse bebê, pois ela entendeu que era um ser, criação de Deus, presente em sua vida e tinha um propósito para aquela vida que se formava em seu ventre.

Caso vocês não saibam, uma das primeiras medidas aqui no Brasil quando uma mulher chega ao hospital com o quadro de estupro é oferecer o remédio abortivo - a escolha é da pessoa, mas é oferecido.

Mesmo assim meu questionamento me perseguiu por muito tempo, foi quando mudei de cidade e vim morar em Campo Grande - MS e que Deus me encaminhou para a Igreja ao qual hoje sou membra e felicidade me define em estar ali. Me matriculei nas aulas de batismo e minha professora, hoje minha líder de célula, abriu esse mesmo questionamento.
Eu expressei tudo o que pensava, tudo o que sentia a respeito e então ela disse:
" - Independente da forma como foi concebida, é uma vida desde as concepção e um propósito nos planos de Deus."
Compartilhou um história comigo e meus colegas de aula de uma mãe que concebeu desta forma e resolveu seguir em frente, deu luz a um menino que hoje é pastor. Imagina a dimensão da história?

Ontem estive em um mini curso do congresso que está acontecendo na Igreja, Congresso Arte e Vida - Curso Mulheres Adoradoras, a ministração foi da Helena Tannure. Para mim foi um ponto final quando ela disse:

Conversamos com quatro profissionais especializados em fotografia infantil e de parto para saber quais registros você não pode deixar de fazer no dia do nascimento do seu bebê. Confira as dicas::
"- Quando você decide abortar você não está somente matando uma vida, sim é uma vida, quando você decide abortar está matando várias gerações: a geração do seu filho (a), a geração dos seus netos, a geração dos seus bisnetos e assim por diante."
De certa forma você se torna uma serial killer. 

Mas e a revolta? As cenas do dia em que tudo aconteceu te perseguem e então vem até seu ouvido uma voz, está de chamando:

" - Mãeeeeeeeeeeeeeeeee !"

É seu bebê, que a chama e corre para seus braços em busca do chamego gostoso que você proporciona a ele.
Todo aquele ódio, rancor, mágoa, nojo, ânsia, infortúnio, desespero, vão para longe,
é o SEU bebê.



Lucas 6: 27 - 36 diz assim:
27"Mas eu digo a vocês que estão me ouvindo: Amem os seus inimigos, façam o bem aos que os odeiam,
28abençoem os que os amaldiçoam, orem por aqueles que os maltratam.
29Se alguém bater em você numa face, ofereça-lhe também a outra. Se alguém tirar de você a capa, não o impeça de tirar a túnica.
30Dê a todo aquele que pedir, e se alguém tirar o que pertence a você, não lhe exija que o devolva.
31Como vocês querem que os outros lhes façam, façam também vocês a eles.
32"Que mérito vocês terão se amarem aos que os amam? Até os pecadores amam aos que os amam.
33E que mérito terão se fizerem o bem àqueles que são bons para com vocês? Até os pecadores agem assim.
34E que mérito terão se emprestarem a pessoas de quem esperam devolução? Até os pecadores emprestam a pecadores, esperando receber devolução integral.
35Amem, porém, os seus inimigos, façam-lhes o bem e emprestem a eles, sem esperar receber nada de volta. Então, a recompensa que terão será grande e vocês serão filhos do Altíssimo, porque ele é bondoso para com os ingratos e maus.
36Sejam misericordiosos, assim como o Pai de vocês é misericordioso.



Que o Senhor nos ilumine! Que a nossa força venha dEle, que Ele nos capacite, que Ele derrame de suas misericórdias sobre nossas vidas e que esse texto não seja só mais um texto lido a respeito de um assunto polêmico e se torne fonte de pesquisa para você que leu até aqui.
Meu profundo desejo é que esse texto viva latente dentro de você, que o pulsione e faça ter a decisão e opinião certa a respeito.

Que Deus esteja com você - SEMPRE!




Imagens: Pinterest


Deixe um comentário